Visitas da Dy

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Duas Faces




Não se deixe levar pelo meu sorriso. Parece bonito, parece leve, mas não o é.

É disfarce que uso sem cuidados, que não consigo sustentar.

É uma das minhas duas faces: enquanto uma ri, a outra chora, se afoga, só doi.

Felicidade não é condição, É estado. Ninguém é feliz o tempo todo, mas ficamos felizes. Até eu fico. Já são poucos esses momentos, sim! Mas ainda existem.

Quem vê meu sorriso dirá: “É mentira! Ela é feliz!” Coitados... Ainda não aprenderam a ler os olhares.Não entendem que a boca cala aquilo que o olho fala.

Para quem sabe me ler, não só “um pingo é letra”, mas também “um risco é Francisco”: o sorriso de bom dia pode esconder uma noite mal dormida que só quem entende meus olhos vai perceber.

Não, não é autopiedade ou momento de lamentações. É autoconhecimento.

Sei exatamente onde começa minha alegria e onde ela vira tristeza. Sei que cantar espanta os males, que o sol vai brilhar mais uma vez, que a lua some pra se refazer, que o mar nunca está satisfeito e por isso insiste em jogar suas ondas na areia.

Talvez esse seja o motivo para eu ainda sorrir: saber que novos dias estão por vir. Que os olhos falarão tudo o que guarda o coração, que a alma se deixará livre, que o amor vai extrapolar meus sentidos e que passarei mais tempo sendo feliz, porque as lágrimas contidas, e as roladas, servem para alimentar as belas flores de um futuro risonho.

2 Comentários:

Elodia Lebourg disse...

Eu vivo sorrindo, mesmo triste ou p... da vida ou, ainda, depois de uma noite mal dormida! Por que não, né?!

Dy Eiterer disse...

Eu também vivo sorrindo Elô!
Poucos são capazes de perceber que estou triste...
Não acho justo compartilhar a minha tristeza... o mundo precisa é da minha alegria!

beijoooooo

Postar um comentário