Visitas da Dy

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Meu Jardim




Quantas vezes já me peguei pensando em desistir.
Quantas vezes já quis pedir para o mundo parar e eu poder descer.
Já perdi a conta de quantas vezes sentei e chorei debruçada em problemas enormes que não eram nada do que eu pensava: eles pareciam grandes demais porque eu os via do ângulo errado...
Em alguns desses momentos de desespero entendo a minha vida como se fosse uma casa com um jardim que a cerceia
Um jardim abandonado, todo bagunçado, com vasos cheios de flores murchas por toda parte, galhos secos, árvores com folhas ralas, pedregulhos esparramados, terra seca, um filete de água passando por onde era um regato, grama alta. Perdida no meio dessa confusão minha casa, meu coração.
Impossível enxergar beleza num lugar desses... mas quem pode mudar isso? Um jardineiro? Não! “O” jardineiro! Ou melhor, “A” jardineira: sou eu quem tenho que pegar nas ferramentas e arrumar toda a bagunça, colocar ordem nas coisas.
Arregaçar as mangas e começar é difícil, parece que há muito trabalho para se fazer, e há mesmo, mas não é impossível: um pouco de organização e determinação são os ingredientes indispensáveis.
Estou aqui e agora fazendo isso: recolhendo o lixo, jogando tudo o que não presta fora, cuidando das plantas, semeando flores, cortando os galhos secos.
O resultado não poderia ser outro: vida nova! Harmonia que volta a reinar no jardim que cerca meu coração e um alívio na alma que chega a ser sem tamanho!
Bem vindo ao mais novo método de resolver problemas: limpar o jardim que te cerca! Plantando sementes hoje as flores virão em pouco tempo! E o gozo de passear entre elas vale cada gota de suor, cada minuto de esforço.


0 Comentários:

Postar um comentário