Visitas da Dy

sábado, 1 de outubro de 2011

Cada um com seu problema ou Meu mundo é meu



A noite está quente, tão quente que não consigo dormir. O que também não é novidade nenhuma.
Tive algumas ideias que podem contribuir para o trabalho e comecei a escreve-las. Logo me desvirtuei e quando percebi estava lendo crônicas na internet.
Nada demais. Nenhum texto que seja excepcional ou medícore. Eram só textos. Rapidamente dei-me conta de que alguns eram próximos dos textos que escrevo. O que quer dizer que mais e mais pessoas recorrem à caneta para desafogar o coração.
Mais uma vez, aqui vou eu, escrever sobre coisas que ouvi no dia de hoje.



São recorrentes as reclamações que surgem no dia a dia da gente. O salário é baixo! Trabalho demais! Meu namorado não me ama! O namorado da vizinha é mais bonito que o meu! O carro do outro é novo e eu ando à pé! Ai, não aguento meu patrão! Ai, que não aguento o meu irmão! Afff… pois eu digo que quem não aguenta sou eu.
Já escrevi sobre reclamações, quando confessei – e confesso – que meu esporte favorito é reclamar, mas é preciso atentar para uma coisinha: estamos reclamando com RAZÃO? Acho que não.
Algumas verdades devem ser ditas aqui:
         Sobra mês no fim do dinheiro;
         Falta paciência na fila do banco;
Sobra tarefa no fim do dia;
         Falta tolerância com o outro;
Sobra sono no fim da noite;
Falta coragem de tomar uma decisão;
         Sobra solidão depois do beijo de despedida;
E daí? É assim com todo mundo!
Temos uma mania de achar que o nosso problema é o maior do mundo ou ainda de achar que o nosso mundo é maior e melhor – às vezes pior – que o do outro.
Quanto drama!
Quanta ilusão!
Vou contar um segredinho: você pode até ser uma bonequinha, ter olhos lindos, ser cheirosa e inteligente ou ainda se achar o contrário disso, mas se tem uma coisa que é certa é que o seu umbigo não é o centro do mundo.
Essa coisa de achar que tudo deve se moldar a você é besteira.
Pensar que se fazer de coitadinha ajuda a conseguir as coisas é a mais pura balela.
O que resolve nossos problemas é a nossa própria vontade.
Arregaçar as mangas e correr atrás do prejuízo é que garante uma boa colheita no fim das contas.
Ninguém consegue nada ficando de braços cruzados.
Ninguém chega a lugar nenhum sem dar o primeiro passo, aliás, sem dar muitos passos.
Vamos parando de choramingar, de achar que o outro é melhor, que a vida dele é mais fácil que a sua e vamos começar a mudar o nosso próprio caminho. E se não há caminho, vamos faze-lo.
É hora de cantar a musiquinha mais famosa de todos os tempos da última hora: “ema, ema, ema, é cada um com seu problema”.
É também hora de brincar de aldeia, onde cada um cuida da sua e sabendo lidar com os outros com diplomacia, logo se estabelece uma rede harmônica e benéfica ao seu redor.
Então, se amanhã é um novo dia, vamos fazer dele uma nova chance de melhorar o nosso mundo, sem nos preocupar com o que os outros vão achar e principalmente sem achar que s outros devem fazer por nós aquilo que é apenas da nossa própria alçada.
Sua vida, sua decisão, seu mundo, seu caminho!
E tenho dito:

“é melhor ser alegre que ser triste,
alegria é a melhor coisa que existe
é assim como a luz no coração”
(Samba da Bênção – Vinícius de Morais)


0 Comentários:

Postar um comentário