Visitas da Dy

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

O Mundo Anda tão Complicado…


 Naquela hora em que já se pensa que nada mais vai acontecer e que o dia vai seguir o seu rumo sem maiores novidades me apareceu um rosto, já um pouco conhecido, e que  me mostrava não estar nada bem, nada feliz, nada satisfeito.
Era uma cara assim meio azedinha, mas que no fundo me sinalizava um misto de decepção, de aborrecimento. Talvez não fosse nada disso, talvez fosse um não sei o quê que me impedia de ver um sorriso que já espero quase que com hora marcada.
Acabei por me por a pensar. Penso muito.
Pensei em como eu podia fazer pra melhorar a situação. Pensei se conseguiria espantar aquela nuvenzinha cinzenta que pairava no meio da tarde. Não tinha jeito. Não havia nada que eu pudesse fazer. Ou se havia, não consegui descobrir.

Às vezes é assim em algumas situações de minha vida, especialmente quando vejo alguém a quem quero bem meio jururu: tenho uma enorme vontade de acalmar, encorajar, alegrar, dar colo mesmo.
A vontade é de fazer qualquer coisa que me traga olhos brilhantes e sorrisos de volta. Sei que isso não adianta muito, mas é meio jeito. Deve ser porque sei como é se sentir “pra baixo” e porque não gosto nada desse sentimento.
Pena eu não ser boa com piadas, se não teria tentado fazer risos voarem pelos ares nessa tarde.
Pena é eu não saber fazer poema e poesia, se não a tarde teria se transformado num sarau, com rimas e leveza.
Pena é não ter bola de cristal pra adivinhar, de verdade, a melhor solução para os problemas de todo mundo que gosto e que precisa desfazer uma carranca e gargalhar com o corpo todo.
O que me aborrece é só saber que vontade de mudar não resolve, que e preciso agir, mas que nem sempre sei o que fazer, simplesmente porque nem sempre há o que EU possa fazer, porque cada um sabe dos problemas que tem. Cada um é que sabe o que se passa no coração e que eu, sou mera platéia nesse espetáculo que as pessoas dão todos os dias nesse mundo e não vejo, nem posso ver muito além do que os personagens me mostram.
Não posso espiar pela cortina do teatro dos outros e ver o que se passa nos corações alheios sequer pra tentar entender o que há, então, o que posso fazer é tentar me conformar com o que me é apresentado e na medida do possível oferecer um café, um sorriso, um ombro.
E se esse mundo anda mesmo tão complicado, eu que não sou boba vou tentar descomplicar: vem cá, meu bem, que hoje eu quero fazer tudo por você… porque, além se essa ser a parte de uma música que adoro, é assim que funciona: se o mundo não para e gira com ele todas as nossas vidas e se encarrega de fazer um grande emaranhado de sentimentos e confusões e situações, o meu papel vai ser o de ser a pessoa que tenta desemaranhar essas questões, então, o que me resta é não desistir de fazer tudo o que puder pra deixar o dia de quem me cerca mais leve. Se vai adiantar não sei, mas desconfio que não posso parar.


***Para todos os que quero bem, os que não quero ver tristes, aborrecidos, cabisbaixos, porque o que faz meu dia mais feliz é saber que todos com quem me importo dão sorrisos luminosos e que por estarem felizes, me enchem de alegrias!***


*** Inspirado também no blog da Elô, com o post que tem o mesmo nome deste: “O Mundo Anda tão Complicado”.***

2 Comentários:

Elodia Lebourg disse...

Rá! A Elô sou eu!!!

Nanda disse...

Amada... sempre profunda e verdadeira... Amo ler o que vc escreve ...Seja Feliz e continue fazendo os que te cercam felizes!!! Bjus de quem te adora!!!

Postar um comentário