Visitas da Dy

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Quarta-feira: Sou a mulher invisível


Afff... quarta-feira que promete ser longa... a noite passada foi insone. Tirei-a para chorar. Assiti os meus filmes preferidos e debulhei-me em lágrimas.
Comecei a noite lendo Clarice Lispector e resolvi assistir “Once” enquanto baixava o filme “Cidade dos Anjos”.
Deprimente... baixei o filme e ele veio em francês. Não teve problema. Entendi razoalvelmente as falas, mas chorei litros. O que importa é que eu sei o filme de cor e que as imagens falavam por si só.
Acho que me senti um pouco como o Seth, o anjo que é interpretado pelo Nicolas Cage. É meio como me sinto agora. Meio peixe fora d’água, meio descontextualizada do mundo.
O personagem Seth é muito emblemático pra mim: frequenta bibliotecas, vê muitas coisas, “conhece” quase tudo, mas lhe falta algo. Algo que o faz querer abrir de toda a eternidade. Tô bem nessa aí. Abriria mão de muita coisa pra conseguir as respostas que busco. Uma companhia que me entendesse. Olhos que enxergassem a mesma coisa que eu.
Bah... o restinho da semana vai ser daqueles: daqueles em que eu fico me perguntando qual o meu problema, porque quero coisas que não posso ter e porque tenho me sentindo como se fosse a mulher invisível.
Preciso visitar espaços novos, conhecer gente nova e me animar... preciso de pique pra levar essa semana até o fim, mas por que é tão difícil?
Por que não descubro logo o que é que me falta pra que eu possa correr atrás e não errar?
Cansada. É assim que me sinto hoje. Muito cansada. E acho que está só começando...


1 Comentários:

Elodia Lebourg disse...

Querida, se serve de consolo bem acho que todo mundo passa por momentos como esse seu...
E outra, um dia você ainda vai morrer de rir de ter assistido a "Cidade dos anjos" em francês!! O segredo talvez seja rir (um pouquinho) dos nossos problemas!

Postar um comentário