Visitas da Dy

sexta-feira, 18 de março de 2011

Porque agora a cor da saudade é Azul



É madrugada. Na verdade seria só mais uma das noites, das muitas noites insones que tenho, mas essa é diferente.
É a primeira noite, de fato, que marca a minha mudança de cidade. É a primeira noite na qual eu olho para os lados e não vejo nada além de uma cidade linda, e, claro, maravilhosa, a ser descoberta. Isso dá medo.
Nós, pobres mortais sempre nos amedrontamos frente ao novo. Descobrir novos ares, novas terras é uma faca de dois gumes: ao mesmo tempo em que quero sair por aí, quero ficar em casa. Em tempo: quero é voltar pra casa.
Há algo de estranho no ar, uma saudade antecipada de tudo o que está ficando longe, ainda que o longe se resuma em 2 ou 3 horas de viagem.
Parece que uma mão de um gigante vem pra me dar um aperto no coração e penso muito num par de olhos azuis que vai ter de se acostumar com a distância. Distância que, de certa forma, eu busquei ao me atrever a tentar uma vaga num curso tão longe e casa.
Embora a mudança de cidade e a decisão de ter deixado muitas coisas pra trás pareça demasiado fria, não passa de mais um dos meus planos infalíveis de buscar o melhor para o dia de amanhã. Uma especialização, uma referência, coisas que exigem um esforço agora para um futuro melhor, pelo menos por uma expectativa melhor.
Serão nove dias sem ver os olhos azuis mais lindos do mundo, sem ouvir uma vozinha que ainda ensaia as palavras dizendo “mamãããã”, sem cantar e dançar com os “seus amiguinhos backardigans” ou ainda as canções do meu tempo de criança agora cantadas por uma tal de “galinha pintadinha” – que também é azul.
Que o bravo Heitor saiba entender os caminhos que a mãe dele toma por certos. Que os dias passem rápido e que o azul volte a ser mais do que uma cor que representa a saudade em meu coração.

***Para  pequeno grande Heitor, dono dos olhos azuis mais lindos do mundo, que ficou nas Minas Gerais***

Rio de Janeiro, 10/03/2011

2 Comentários:

Anônimo disse...

Lindo. Até chorei ao ler. Ana Paula Gama

Dy Eiterer disse...

Obrigada, Paulinha...
Fico feliz em ver você por aqui!
beijooooooooooooosssss

Postar um comentário